Monday, September 12, 2016

saldão chegando na casa do povo!



o saldão segue, com golpe ou sem golpe. hoje a leitorinha luiza barros que mora na inglaterra mandou foto da sua encomenda recém-recebida ê!

1. onde escolher:
fuce o meu flickr, o vodca ou o sité sério (menos as fotos de vovó).

incrusive arrumei o flickr em álbuns, caso isso ajude vocês a encontrar o que procura.

2. como escolher:
copie os LINKs das fotos que você quer (não adianta descrever "quero aquela foto dos corações", que não vou saber qual é!).

3. finalizando o pedido:
mande email para o ivanova.ivanova@gmail.com com os links das fotos que você quer, e os respectivos tamanhos!

depois disso, dependendo do tipo de pagamento que você escolher, te enviarei OU os dados bancários OU a fatura do paypal. e  você envia o seu endereço para postagem das fotos.

4. tamanhos e preços (inclui frete, assinatura, mimos surpresa, meu amor e minha gratidaum):
10x15 (no mínino 2): R$ 50 (cada)

algumas observações: 
a) a foto 10x15 só pode ser pedida em duplinha primeiro porque é mais bonito já que o print é tão pequeno; segundo porque R$ 50 reais é pouco mais de dez euros, e o frete é tão caro que não compensa pra mim. desculpa! :)

b) as fotos de vovó e a foto do prédio em recife não posso vender no saldão porque elas fazem parte de coleções públicas, que pagaram o preção não-saldão delas. agora claro, se alguém quiser comprar uma foto dessa série ou a foto do prédio, tem como fazer no esquema "oficial", me escreve que eu explico mais!

c) socê comprar muitas fotos, tem desconto! (não se de quanto %, mas nóis conversa)

mermão pelamordedeus #forajornalismodearcondicionado


não sei quem é pior a política ou o jornalismo de ar condicionado no brasil. esse artigo de joão filho, no the intercept brasil, explica de um jeitinho bem facinho o papel da grande mídia em abafar o fato de que NINGUÉM convidou temer pra ser presidente.

no texto ele dá exemplos de vários jornalistas e/ou publicações que estão tentando fingir que não tão vendo a enorme reação anti-temer (nas redes e principalmente nas ruas) mas pra quem não quer ler basta olhar as figura:







"O Estadão fez bonito e cumpriu com louvor seu papel na Operação Passa-Pano. É preciso de uma lupa e muita boa vontade para encontrar os protestos contra Temer. Talvez a Família Mesquita não queira que a massa leitora de manchetes nas bancas de jornais fique sabendo desse revés".

Saturday, September 10, 2016

duas traduções de frank o'hara e umas image



traduzi dois poemas do frank o'mára pro suplemento pernambuco, bem rápido e emocional como o de costume, pensando nos acontecimentos de 31 de agosto de 2016. foi foda porque foi exatamente este o dia em que li estes dois poemas (que estão na coletânea lançada em 2009 pela borzoi poetry), no trem, indo encontrar manuel e bernhard, toda atordoda com o grand finale do golpe, esse teatro, li os poemas e fiquei toda cagada. enfim.

aqui umas fotos e os os scans do livro, com os originais.


essa foto eu mandei pro meu editor
tentando convencer ele que estava trabalhando
(ainda que estivesse de biquini tomando sol
na sala de casa)

essa é pintura à qual frank se refere no poema 
"Depois de ver Washington crossing the Delaware, 
de Larry Rivers, no Museu de Arte Moderna"



poema 1



poema 2




Friday, September 09, 2016

do que é objeto


pro Breno


bacia

fumaça                       garrafa
cadeira
tomada
vasos
um sofá 
raiz                              sapato
lamparina                  teto
portão                         mancha
arame farpado
planta

outra mancha
um homem velho
isso eu não sei o que é
janela
lençol
alecrim
alguma coisa embrulhada de azul
luz
mofo                            roupas pra engomar
armário
mofo de chão              um buraco fechado
sapatos
coleira
manchas
poltrona                       repolho
colchão
retângulo vermelho     café
pau
parede
chuva                             mancha
escada
planta                            corredor
marreta                         toalha
vidro

eu não sei o que danado é isso







(e essa luva não está no livro)


Thursday, September 08, 2016

poetas que mandam postais





ewout e eu daqui a 30 anos,
segundo ele mesmo




Wednesday, September 07, 2016

silvia





"the only one
everybody loves"
(frank o'mára)






Monday, September 05, 2016

muitas e novas fotos da irlanda no saldão



clique na foto que te leva pro álbum do flickr!



primeiramente #foratemer, segundamente criei um álbum no flickr só com as fotos da irlanda (as deliciosas dublin e bray). vão lá ver se desperta vossa sanha consumista (o que nesse caso não deixa de ser por uma boa causa, support your local cangaceira!).


1. onde escolher:
fuce o meu flickr, o vodca ou o sité sério (menos as fotos de vovó).

incrusive arrumei o flickr em álbuns, caso isso ajude vocês a encontrar o que procura.

2. como escolher:
copie os LINKs das fotos que você quer (não adianta descrever "quero aquela foto dos corações", que não vou saber qual é!).

3. finalizando o pedido:
mande email para o ivanova.ivanova@gmail.com com os links das fotos que você quer, e os respectivos tamanhos!

depois disso, dependendo do tipo de pagamento que você escolher, te enviarei OU os dados bancários OU a fatura do paypal. e  você envia o seu endereço para postagem das fotos.

4. tamanhos e preços (inclui frete, assinatura, mimos surpresa, meu amor e minha gratidaum):
10x15 (no mínino 2): R$ 50 (cada)

algumas observações: 
a) a foto 10x15 só pode ser pedida em duplinha primeiro porque é mais bonito já que o print é tão pequeno; segundo porque R$ 50 reais é pouco mais de dez euros, e o frete é tão caro que não compensa pra mim. desculpa! :)

b) as fotos de vovó e a foto do prédio em recife não posso vender no saldão porque elas fazem parte de coleções públicas, que pagaram o preção não-saldão delas. agora claro, se alguém quiser comprar uma foto dessa série ou a foto do prédio, tem como fazer no esquema "oficial", me escreve que eu explico mais!

c) socê comprar muitas fotos, tem desconto! (não se de quanto %, mas nóis conversa)



o golpe segue mas a gente precisa continuar pagando as contas. o saldão segue até 30 de setembro. 

Sunday, September 04, 2016

noam chomsky explica bem facinho:



protesto não é crime


post beeeem facinho de rebeca lerer, no facebook, explicando a dinâmica dos protestos no brasil
(os negritos no decorrer do texto são meus, destacando a parte mais fundamental do que diz a rebeca)


Geralmente o roteiro é assim:

Um ato é convocado por coletivos autônomos. A secretaria de segurança monitora as convocações e determina o contingente policial a partir desse "profiling". É só estudar para ver que nem todos os atos contam com o mesmo esquema de repressão; depende de quem chama, do tom e dos coletivos que se mobilizam. Essa decisão não é técnica, é sempre política.

Aí a manifestação concentra e logo dá para saber se vai ter ou não repressão. Quando o ato decide por um trajeto ou tem um perfil "de risco", a PM simplesmente impede o protesto de seguir ou arruma um motivo para interceder na manifestação. Começa a prender ou agredir manifestante por desacato, ou fazer revistas aleatórias, por exemplo. As pessoas reagem, em geral com palavras de ordem. A PM então aciona o plano que já estava desenhado desde o início. As primeiras bombas de gás e efeito moral são jogadas. Começa a dispersão da multidão. A polícia passa a perseguir grupos de manifestantes.

AÍ, SÓ ENTÃO AÍ, uns minino fazem umas barricada de fogo, quebram umas vitrine de banco e jogam umas pedra para ATRASAR e/ou ATRAIR a atenção da polícia e suas bombas - além de expressar sua revolta contra os ícones da opressão do capital.

Enquanto isso tá acontecendo, centenas de pessoas conseguem tempo e rotas de fuga para escapar da brutalidade policial e das prisões arbitrárias recorrentes nestes atos.

Pode até não parecer estratégico e certamente é distorcido pela "mídia golpista", que nunca conta a história toda e altera a ordem dos fatores para ter o produto midiático que lhe convém. A notícia deveria ser o uso abusivo das armas menos letais, os aparatos policiais desproporcionais e as dezenas de pessoas feridas, mas a narrativa que prevalece é a do "vandalismo".

Gestão de multidão é bem diferente de repressão. As imagens de guerra só servem para colocar a verdadeira pauta do protesto em segundo plano - seja ela o Golpe, a tarifa de ônibus ou a roubalheira da Copa.

Isso também só acontece porque o direito ao protesto é seletivo no Brasil. Na prática, para poder se manifestar, precisa ter CNPJ, negociar com a PM, com o Papa etc ou passar pelo STF, como foi o caso da Marcha da Maconha.

Quem frequenta diversos tipos de atos sabe que nunca é coincidência: quando não tem polícia, não tem violência nem dano ao patrimônio.

#ProtestoNãoÉCrime

isso. é. gravíssimo.